Mothern - Manual da Mãe Moderna

Para comprar o livro
Mothern - Manual da Mãe Moderna:
Matrix Editora
Saraiva
Fnac
Siciliano
Submarino

As 500 melhores coisas de ser mãe

Para comprar o livro
As 500 melhores coisas de ser mãe:
Matrix Editora
Saraiva
Siciliano
Submarino

Mothern no GNT
Para assistir ao programa no GNT:

Terceira temporada
Domingo 03:33
Domingo 17:02
Terça 23:31
Quarta 14:00
Quinta 11:00

Leia e deixe seu recado
Leia e deixe o seu recado

Leia Também
Nossa primeira blogada.
Mothern. Vale a pena ser uma?
A Verdade.
Restaurante com crianças: mantendo a finesse.
Tchau, cocô!
Meu blog, meu filho.
Programas de curumim.
Porque contratar uma mothern.
Abomináveis.
O novo pai.
Unha é útil!
Primeiro Quiz Mothern.
Os piores pais.
Susi Foda.
Meu marido e sua performance.
Manual de convivência com amigas motherns.
Manual de convivência com amigos sem filhos.
A saga da escolha de uma escolinha.
Comendo os convidados.
Cabeleireira por um dia.
Marquinho,o sedutor de menores.
A teoria dos inversos proporcionais.
De mudança.
O que são 2 anos, afinal?
Matemática motherna.
No embalo das cólicas.
Chupeta no lixo.
Post-preguiça-descontrol.
Arquitetura motherna I (banheiros públicos).
Arquiteturamotherna II (hotelaria).
Aunião duradoura.
O comercial que não vale um Danoninho.
Laura, versão 3.3.
Boanoite, Cinderella.
O brinquedo abominável.
Mais lenha para a Borralheira.
Técnicas avançadas de alimentação infantil.
A bolsa mothern.
Cólica ou refluxo?
Só no sapatinho.
Tecnologia a (des)serviço da mothern.
A mascote.
Operação brinco.
De começos e outras dores.
Mau-humor é uma merda.
"Diga-me o que ledes..."
Feira motherna.
O Homem-Banguela.
Organizações Mothern.
Nana neném.
Por quê?!
O poder persuasivo do choro.
Serviço de branco.
A arte de enganar crianças.
Manual Mothern de Sobrevivência I - Reunião de pais.
"...é tarde, é tarde, é tarde."
Manual Mothern de Sobrevivência II - Festinha de Aniversário.
Chove,chuva
Voce sabe que está envelhecendo...
Manual Mothern de Sobrevivência III- Viagem de carro.
A mãe de 30.
Poesia para Dedé.
Rosa, a cor suprema.
Não é a mamãe!
A menina de tres.
Síndrome da Proximidade das Férias.
O verão para as grávidas.
Hey, mister DJ!
A comida ambulante.
Babáou escolinha?
Cagada no clube.
Deupositivo. E agora?
SociologiaMotherna
Para entender as mães.
A Fal e os livros.
O segundo filho.
Muito além da Susi.
O dia da posse.
Koan
Truques bizarros para adormecer crianças.
Porque não ver o filme da Xuxa.
Para entender as mães II.
Ligada ou desligada?
Diálogo motherno.
Condicional.
Festa de 1 ano.
O resguardo.
Fimde caso.
Para os 10 anos do menino.
Não-post.
Todos os nomes da coisa.
Ensinando a pedalar.
Recaída.
Um post de carnaval.
Desejo de grávida.
A arte de receber com crianças em casa.
XY.
Manual de convivência com amigos sem blogs.
Diálogos do casamento I.
Paras empre.
Diálogos do casamento II.
Hai Kai da Alice.
Manual de Convivência com Amigos Blogueiros.
A mãe-adolescente.
Pânico I - a mancha.
Drops Kids.
Talk Sex with Flávia Johanson.
Artigos de luxo para a infância do séc. XXI.
Abril.
De quem é o meu peito?
Técnicas de escovação dental infantil.
20 dicas para o Dia das Mães.
A mãe lesada.
Guia de Sobrevivência Mothern IV - Viagens de trem.
Mulheres Admiráveis I.
A mãe criança.
3 dicas rápidas para o banho do seu filho.
O menino nota 10.
Pequenos prazeres femininos I.
E assim se passaram 3 anos.
Flagrante de uma não-mothern.
Chatos convictos.
A menina que vive num musical.
Educação sonora.
Clube da Luta.
Mamãe é uma festa.
Sexta-feira, Clarice e algo mais.
Carta aberta ao presidente da CBF.
Guilherme Augusto Araújo Fernandes.
Dia de sol. Noite sem luz.
Elogio ao não.
As flores do bem.
Na verdade.
Chá de bonecas.
Passou, passou.
Poema da Fal para a Nina.
Ô Cridê!!!
Na feira com a Helô.
It's okay.
Pensando bem.
Primeiro Glossário Mothern.
A mãe superintendente.
Rimando.
Bloody sunday.
No elevador com a Moema.
The Great Fashion Disaster.
Escravizados por um ursinho azul.
A Outra.
O pai que não ajuda.
ARTI ou o Artesanato Reciclado Tosco Infantil.
Viajando sozinho(a).
É possível, sim.
Filha de peixe...
A mulher que se apaixonou pelos peixes.
Tody, o cão emprestado.
Dá pra ser.
Mulheres admiráveis - II.
Viajando com a Zara.
Dicionário Bernardês-Português (por Pedro Vittiello).
A Arca de Laura.
Racionamento.
Manual Mothern de Sobrevivência V – Organização de festas infantis.
O homem de 40.
Não tem comparação.
Eu, não.
Asilo GrandMotherns.
A incrível receita salvadora do Leite de Cereais.
Minha professora Geralda.
A Síndrome do Sapo Cantor.
TPM ou Como aproveitar um dia de fúria.
Não estamos grávidas.
Coca-cola é isso aí.
Economia motherna I – Produtos genéricos.
Os shows da vida.
Unplug and play.
Carol é vítima da moda dos outros.
A criança indobrável.
Manual de sobrevivência Mothern VI – Férias escolares.
Disney, sempre assim.
Estive na Bahia e antes não tivesse me lembrado de você.
Pequena advertência Mothern.
Então é Natal.
Matrioshka.
Fim de ano na moita.
Tomé, quem?!
Má-mãe ou A culpa também é uma merda.
Alê e o brinquedo de castigo.


Escreva sua opinião, comentário, sugestão etc.

motherns@hotmail.com


Outros Blogs
alice
afrodite
ask the dust
a teus pés
bloggete
blowg
brazileira preta
colega
copy & paste
daniel galera
daniel pellizzari
delicias cremosas
drops da fal
enigmatic mermaid
el latin lover
fel
fezoca's blurbs
gente
full giu
heranças
historias, estorias e afins
interney
internetc.
kaleidoscopio
lado b
lets blogar
luisa
malgardee
mario av
marketing hacker
moshi moshi
mosteiro virtual
mui gats
mulherzinha
mundoperfeito
nadas
oba fofia
o relicário
plenamente
rendição
síntesedas antíteses
speed log
sub rosa
the obvious?
wumanity
zamorim
zel


Alguns Sites
02 neuronio
adbusters
baderna
clube do bebe
corre cotia
palavra cantada
tpm


Jabá dos Maridos
Ki-Aikidô
Massive Reggae


Foto das Motherns
Márcia Charnizon


Blog Design
Laura Guimarães


Programação
Giuliana Xavier


Arquivos


ATOM FEED



This page is powered by Blogger.
 

31.8.04:::
 

Falando da musiquinha fofa Oito Anos:
"perguntar tanto é menos para saber a resposta do que para treinar a ferramenta perguntadora e a paciência do respondedor."
É isso aí, Paula Toller.

* * *

Fiz um trabalho ao final de uma disciplina. Entreguei achando legalzinho, depois fui achando medíocre, depois tive certeza que estava ruim mesmo. Sonhei até que tinha tirado 29 em 100. Pesadelo. Recebi ontem corrigido: 92, com elogios. Acertei os números :D

* * *

Tem uma turma inteira de ex-alunos que me odeia. E faz questão de me ignorar quando cruza comigo no corredor. Sei lá, não demos certo. Eu preocupada com a seleção do mestrado. Eles bons de serviço mas muito agitados. Inteligentes e completamente indisciplinados. Eu devo ter sido muito chata e picareta pra eles. Chato isso. Mas fazer o quê? Acontece. Aconteceu. Gostar ou não gostar também é uma questão de sorte.


: : Laura : :


7:52 PM

23.8.04:::
 



Nina e Gabriela saíram na Folhinha, contando como foi passar dois dias sem TV.

: : Laura : :


2:49 PM

18.8.04:::
 

Pequena Fábula Motherna

Era uma vez um homem e uma mulher. O homem gostava muito de música e da mulher. A mulher gostava muito de homens que gostavam de música e dele em especial. Eles sempre foram um pouco críticos com a mpb, ele mais do que ela, é verdade. Uma vez, de férias, sem mais assunto além de leitura, sexo e caminhadas, os dois até fizeram uma chacotinha com a rádio local que tocava muitas canções de um certo compositor romântico dos anos 80. Esse cantor era do tipo que alongava as vogais, aliás, o tipo que eles mais gostavam de criticar. O feliz casal teve filhos. Um dia, numa reunião escolar, estudando a água, a turminha da criança apresentou o hit do tal compositor. O casal riu um sorriso "oh, não!", mas que podia também ser lido como um sorriso "que fofo!". Então, vendo a carinha da criança, o casal se resignou e quase cantou de mãos dadas com os outros pais. Afinal, com qualquer gosto musical, todos um dia vão voltar humildes pro fundo da terra. Pro fundo da teeeeerraaaaaa.

Moral da história: ter filho é pagar língua.

: : Laura : :


5:12 PM

 

Enquete sobre economia motherna

Vocês dão mesada? Por que sim? Desde que idade? Por que não? Como definem o valor? Combinam alguma tarefa em troca do dinheiro? Incentivam a poupança? No final do mês pedem dinheiro emprestado ao filho?
Respondam no livro de visitas, please.

: : Laura, mãe classe média de crianças tamanho médio : :


2:53 PM

16.8.04:::
 

O seriado é supertrash, cheio de piadas internas britânicas e a temporada antiga era bem melhor. Mas eu tenho me divertido muito com a gravidez de Saffy, a filha de Edina no Absolutely Fabulous :D

: : Laura : :


4:30 PM

 

.Dizem que o cd para crianças da Adriana (Calcanhotto) Partimpim está bacaninha. Eu ainda não ouvi.

.Dizem que vai ter show do Kraftwerk em BSB e eu fiquei a fim de ir. Assim, de onda. Ou vou em SP?

.Dizem que mudar o país no Orkut faz ficar mais rápido. Outros dizem que não.

.Dizem que foi bonita a abertura das Olimpíadas. Eu comi mosca.

Eu sei de quase tudo um pouco, e quase tudo maaal.

: : Laura : :


11:25 AM

11.8.04:::
 

Coisas a fazer aqui antes de ir para o Universo Paralelo ONDE EU NÃO MAIS TENHO ACESSO A BLOGS:

. linkar Pedro, irmão da Fal.
. divulgar a campanha de Vera, minha mãe, pela arrecadação de papéis de carta, fingindo que não sei o propósito disso.
. roubar o post do batom da Ângela (amore, o nome da atriz grega é Melina Mercouri).
. divulgar a festa No Cool da Patty
. divulgar o FIT em BH
. pôr uns links pra posts antigos no post de ontem.
. fazer uma lista e sair correndo pra uma reunião.
Tchau e até semana que vem.

: : Laura : :


2:04 PM

10.8.04:::
 

Tanto tempo sem escrever que parece que tenho muito pra falar e ao mesmo tempo nada de tão importante assim. Mas esse texto da Flá vai direto num post que ando ensaiando aqui comigo, sem nem saber se um dia ia tocar nisso. É mais ou menos assim:

Não sei como é com vocês, mas comigo não tem sido fácil. Aliás, a parte mole ainda não chegou pra mim, apesar da Veja volta e meia inventar suas 10 regras "fáceis" para criar filhos. Acho tudo óbvio demais ou idiota demais, fora aquela visão classe média insuportável que inunda todo o discurso da revista. Mas não era disso que eu ia falar.

Eu ia dizendo que criar filhos não é moleza e que a gente sempre tem um monte de dúvidas e acha que, por mais que se esforce, não vai ser uma mãe perfeita. Disso eu tenho certeza há tempos e confesso que às vezes nem tanto esforço assim eu faço. Mas acabei achando que tinha aprendido algo, que tinha passado por coisas que outras mulheres ainda iam experimentar. Aprendi a trocar fraldas num carro em movimento e a dar de mamar em lugares estranhos. Sei ir ao restaurante com crianças pequenas sem ser expulsa, sei ignorar uma birra, sei inventar um brinquedo divertido com objetos prosaicos, sei até (aprendi com a Ju e a Mani) alguma coisa sobre homeopatia e alimentação natural. E as pessoas até acreditam e vêm a esse blog procurando sensatez e bons conselhos (né, Flá? ;)

Mas acontece que a festa da barriga não funciona mais, e a menina já não pede bonecas de presente. Minha filha cresceu e eu não sei mais como lidar com ela. E penso até se já soube um dia. Ela só tem oito, mas o corpo começa a mudar. Ela continua linda e engraçada, vivendo num musical, mas tem longos momentos de tédio e mau humor (Ed, como é mesmo que se faz uma criança grande rir?). Ela é cheia de doçuras, idéias e talentos, mas em outras coisas tem se revelado tão chata quanto a mãe. Ela tem pudores que antes não tinha e eu sei que num dia próximo vou ter que apagar vários textos, este inclusive. Afinal de contas, é a vida dela. Já passou dos sete, não tem mais jeito: agora eu sou eu, ela é ela.

Olha, é bonito ver filho crescendo, só que eu não esperava por isso assim tão cedo. A psicologia, a antropologia, a astrologia ou a biologia devem explicar, eu só sei que estou aprendendo, aos trancos e barrancos, a ser mãe de uma menina grande. Conselhos, dicas e obviedades são agora bem-vindos. Estou aprendendo a ser mãe de novo. E hoje eu sei que não é a última vez.

: : Laura : :


3:40 PM

 

Navegar em blogs alheios às vezes causa surtos repentinos de emoções inesperadas. Como quando a gente esbarra em textos assim:

A menina de 10 anos, Fal, sofre de dores homéricas no peitinho que começa a nascer e se preocupa muito em saber se eles vão ficar enormes, porque Deus a livre de peitões, coisa mais horrível! Ela só se apaixona por ídolos, muito melhor do que se apaixonar pelo amigo da escola porque desse jeito, cruz credo, ela ia ter que namorar pra valer. A menina de 10 anos só quer saber de filmes legendados e livros de mais de cem páginas. Ela chora por qualquer coisa e pergunta:"Por que eu tenho chorado tanto?" E quando a mãe responde que são os hormônios ela responde:"Coisa mais incoveniente essa parada de hormônios...". Quando está entre amigos a mãe é proibida de entrar no quarto mas basta ficarem sozinhas para ela pular no colo e pedir carinho nas costas. Ela gosta quando contam histórias de quando ela era "pequena" e ri de si mesma. Viaja de avião sozinha, ouve Kid Abelha aos urros, quer ser atleta e já usa os sapatos da mãe. Diz que não gosta do irmão mas toda noite dá um beijo delicioso no pequeno pentelho. A menina de 10 anos ouviu falar que é muito bom para o cabelo escovar 100 vezes antes de dormir e ela bem que tenta mas é tão monótono isso... Ela já vai para o inglês sozinha mas tem medo de atravessar grandes avenidas. Não usa batom mas belisca a bochecha pra ficar mais coradinha. Está preocupada com a possibilidade de seu cabelo ficar castanho e pede um chá de camomila. Sonha em ir à Londres e ao Havaí. Continua sem gostar de feijão mas sente fome o dia inteiro. As pernas doem quando dorme e ela já está achando que vai chegar aos 2 metros. É uma menina ainda mas já se vê que é por pouco tempo. A infância está acabando, a adolescência chegando. O mundo está logo ali, à sua espera. E ela pode até não se lembrar de muita coisa dessa época quando ficar mais velha e mais gagá, mas retratos não vão faltar para que ela tenha certeza que foi uma criança feliz. Muito feliz.

...Flá (mãe de uma linda menina de 10 anos)



: : Ju (mãe de uma menina de 4 anos, emocionadíssima, e roubando descaradamente o post alheio) : :


9:07 AM

6.8.04:::
 

Preparem as baby-sitters

Leo Vidigal, meu queridíssimo dj, vai abrir a noite de sábado do Eletronika, tocando dubs espaciais no Marista Hall, de 21h às 22h30. Na mesma noite tem Nego Moçambique, Bnegão, Dolores, Patife etc etc etc. Tá imperdível, dá uma olhada na programação.
Até lá :)

: : Laura : :


9:53 AM